Sinopse

Uma forma de compreender melhor o marcelismo e o papel que desempenhou no imaginário português.

Todos conhecemos Marcello Caetano, o delfim e sucessor de Salazar que marcou os últimos anos do Estado Novo. Mas, se foi possível acompanhar a vida pública deste Presidente do Conselho durante o período mais negro da Guerra Colonial, a sua vida privada permaneceu um mistério, ao ponto de a maioria dos portugueses só ter ouvido falar da sua mulher, Teresa de Barros, no dia do anúncio oficial da sua morte. Orlando Raimundo – o jornalista que descobriu nos Arquivos de Salazar um documento de grande interesse, de início atribuído a Franco Nogueira (mas que veio a saber-se ser de André Gonçalves Pereira), propondo abdicar das colónias menos importantes para resistir em Angola e Moçambique – vem, neste seu ensaio biográfico, penetrar nos bastidores da história de Marcello Caetano para nos revelar as suas origens modestas, a ajuda dos amigos na sua formação, o núcleo de pressão que o levou ao poder, o drama vivido com a doença da mulher, a forma como a filha, Ana Maria Caetano, foi condenada a assumir o papel de primeira-dama – desistindo de um casamento com um advogado de grande prestígio – e, por fim, as determinações frias e racionais sobre a questão colonial que acabaram por levar à queda do regime em 1974 e ao seu exílio no Brasil.
Publicado originalmente em 2000, A Última Dama do Estado Novo e Outras Histórias do Marcelismo foi amplamente revisto e aumentado, trazendo agora a público novas e surpreendentes revelações.


Orlando Raimundo, licenciado em Ciência Política e Relações Internacionais, é escritor, jornalista e investigador independente. Estudou jornalismo em Paris e Tóquio, pós-graduou-se no ISCTE e foi assessor editorial do Instituto Politécnico de Lisboa. Enquanto profissional da Comunicação Social, ajudou a lançar o primeiro jornal da Guiné-Bissau livre e independente e a fundar o Cenjor, foi redactor de O Século, Diário Popular e Expresso, tendo integrado o quadro redactorial deste semanário durante quase vinte anos, e escreveu mais de uma dezena de livros, entre os quais A Linguagem dos Jornalistas e A Entrevista no Jornalismo Contemporâneo. A Última Dama do Estado Novo e Outras Histórias do Marcelismo é considerado uma obra de referência sobre os anos finais da ditadura.

Ler mais Ler menos

Detalhes

  • ISBN: 9789722055666
  • ISBN do Ebook: 9789722055673
  • Editora: DOM QUIXOTE
  • Ano de Edição / Impressão: 2014
  • Dimensões: 236 x 156 x 16 mm
  • Páginas: 232
O autor
Escritor e jornalista, Orlando Raimundo é o investigador independente que mais tempo tem dedicado, nos últimos anos, à temática cruzada da Comunicação e da pesquisa dos universos sombrios do Estado Novo. Jornalista profissional durante mais de três décadas, foi um dos repórteres da Revolução, cobrindo para O Século os acontecimentos do 25 de Abril, e integrando depois a equipa redactorial do Diário Popular e a editoria de Política do Expresso. Distinguido sete vezes com prémios nacionais de reportagem, foi colaborador do jornal Sud-Ouest, de Bordéus, quando residiu em Paris, e correspondente em Lisboa do Corriere della Sera, de Milão. É autor de A Última Dama do Estado Novo, obra de referência sobre os anos finais da ditadura, e António Ferro: O Inventor de Salazar, ambos disponíveis nas Publicações Dom Quixote.
Ler mais Ler menos