Sinopse
O primeiro livro de não ficção de Rupi Kaur; um curso de escrita criativa para curar a alma.

“Dançar é criativo. Limpar, escrever um ensaio, encontrar uma boa desculpa para faltar a um almoço de família, são atos criativos. Assim como é criativo organizar o guarda-roupa, cozinhar, fazer jardinagem…Todos nós conseguimos ser criativos naquilo que bem entendermos.”
Quando somos crianças, nunca nos falta imaginação. Mas depois crescemos, vamos para a escola, segue-se a universidade e a vida. Pelo caminho deixamos cair os desenhos, os diários, os devaneios artísticos. É pena, porque criar é, entre muitas outras coisas, terapêutico. Foi a desenhar, a escrever e a ler poemas que Rupi Kaur começou o seu percurso de autodescoberta e de cura. Em Curar Através das Palavras, a poeta desenhou um guia, com exercícios de escrita, para inspirar a criatividade e a cura.
Os exercícios, que a própria Rupi pratica, vão ajudar o leitor a explorar temas como o trauma, a perda, a separação, o amor e a celebração do Eu.
Este manual oferece assim uma experiência catártica de autodescoberta e uma nova forma de praticar mindfulness através da escrita.
Ler mais Ler menos

Detalhes

  • ISBN: 9789892355702
  • Editora: LUA DE PAPEL
  • Ano de Edição / Impressão: 2022
  • Dimensões: 205 x 156 x 22 mm
  • Páginas: 336

PROMOÇÕES ATIVAS

Novidades NATAL - 20% a 50% desconto em TODOS os livros
O autor
Rupi Kaur é poeta, artista e performer. Aos 21 anos ainda na universidade e escreveu, ilustrou e publicou em edição de autor a sua primeira coletânea de poemas, Leite e Mel. Seguiu-se o irmão artístico desse livro, o sol e as suas flores. As suas coletâneas de poemas venderam mais de 10 milhões de exemplares e foram traduzidas em mais de 40 línguas. O seu último livro, corpo casa, entrou diretamente para o primeiro lugar nas listas de livros mais vendidos em todo o mundo. Rupi produziu ela mesma o Rupi Kaur Live, o primeiro especial de poesia do género a estrear no Amazon Prime Video, em 2021. A obra de Rupi aborda o amor, perda, trauma, feminilidade e migração. Sente-se em casa quando cria arte, quando representa a sua poesia em palco e quando está com a família e amigos.
Ler mais Ler menos