Olhando por Mr. Bergman

Olhando por Mr. Bergman

Quando a mãe tem de ir trabalhar e o pai fica sozinho em casa com o bebé.
Um verdadeiro hino à paternidade.

João Rebocho Pais, português, tinha dois filhos: Miguel e Francisco. Marie-Louise Bergman, sueca, também: Alina e Viktor. A dada altura da sua vida juntaram os dias e a vontade de seguir em frente. E foi assim que nasceu Filipe Bergman Pais, tratado por muitos nomes cómicos e carinhosos, entre os quais, justamente, Mr. Bergman.
Trabalhando a mãe como investigadora num laboratório, com uma actividade profissional que lhe permitia apenas intervalos controlados, decidiu o pai pedir uma licença para ficar em casa com o bebé. E é dessa fantástica convivência que nasce Olhando por Mr. Bergman – um relato ternurento, divertido e irresistível sobre o primeiro ano de vida do bebé. Os brinquedos preferidos, a sopa que voa com um espirro, uma chucha que se evaporou, os passeios a dois, as manhas, os mimos dos irmãos e, finalmente, a ida para a creche, são alguns dos momentos especiais vividos por pai e filho e vertidos para estas crónicas deliciosas. E, no entanto, à medida que conta como foram estes meses a olhar por Mr. Bergman, João Rebocho Pais nunca esquece as experiências com os outros filhos, fazendo deste seu livro um verdadeiro hino à paternidade.
Ler mais
€ 10,32
PVP   € 12,90
Poupe € 2,58 (20%) Comprar

eBook
€ 4,79
PVP   € 5,99
Poupe € 1,20 (20%) Comprar
Ano de Edição / Impressão / 2016
Número Páginas / 152

Dimensões / 235 x 12 x 157 mm
ISBN / 9789897415173
Editora / CASA DAS LETRAS
Autor
João Rebocho Pais nasceu em Lisboa em 1962. Cresceu no bairro de Olivais-Sul, terra que se lhe entranhou na pele e no coração e lhe permitiu uma adolescência de selvática liberdade, com uma tribo de gente carregada de sonhos tentados, conseguidos  e estrondosamente falhados também.
Entrou para a aviação comercial em 1985, trabalhando há mais de trinta anos como comissário de bordo, viajando em todas as horas e direcções, aprendendo as cores, os cheiros e as texturas que se lhe oferecem em cada pedaço de terra que o recebe.
Tem três filhos – Miguel, Francisco e Filipe –, três homens da sua vida, três lições de amor.
Até à sua estreia literária com o romance O Intrínseco de Manolo, os livros eram pedaços de magia trazidos pela mão de outros. Dizem que Sebastião, o seu segundo romance, é a prova de que à escrita ganhou o gosto. Olhando por Mr. Bergman é o seu terceiro livro.