Dinossauro Excelentíssimo

Coleção: Essencial Livros RTP - volume 9
letras_leya
10
Letras

Dinossauro Excelentíssimo

Coleção: Essencial Livros RTP - volume 9
Livro recomendado PNL2027 para maiores de 15 anos - leitura leitura fluente

Prefácio de Carlos Reis.

De facto, não há muito tempo existiu no Reino do Mexilhão um imperador que na ânsia de purificar as palavras acabou por ficar entrevado com a paralisia da mentira. Ainda lá está, dizem. E não é homem nem estátua porque a ele, sim, roubaram-lhe a morte. Não faz parte deste nosso mundo nem daquele para onde costumam ir os cadáveres, embora cheire terrivelmente. Quando muito é isso, um cheiro. Um fio de peste a alastrar por todas as vilas do império.

Dinossauro Excelentíssimo, é uma fábula satírica de José Cardoso Pires que retrata a vida de Salazar, a sua ditadura e o Portugal do Estado Novo num tom bastante irónico e amargurado. Carlos Reis designa a fábula de "relato violentamente satírico sobre a figura de Salazar" (verbete José Cardoso Pires, in Biblos, vol. 2, 213).

Uma edição ilustrada por João Abel Manta.
Ler mais
Ano de Edição / Impressão / 2017
Número Páginas / 144

Dimensões / 242 x 16 x 162 mm
ISBN / 9789896604066
Editora / LEYA
Autor
José Cardoso Pires nasceu em São João do Peso, Vila de Rei, em 1925. Concluiu o ensino secundário no Liceu Camões, em Lisboa, e inscreveu-se no curso de Matemáticas Superiores na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, curso que nunca concluiu.
Foi jornalista, tendo colaborado em vários jornais e revistas. Iniciou a sua atividade como escritor publicando, em 1949, o livro Os Caminheiros e Outros Contos. Depois seguiram-se, até 1997, ano em que publicou a sua última obra – Lisboa, Livro de Bordo – mais 17 livros, distribuídos por diversos géneros literários – conto, romance, crónica, ensaio, teatro.
A sua obra literária não é redutível a uma escola literária definida. Ela coloca-se entre o surrealismo, o neorrealismo, e sofre uma forte influência da linguagem cinematográfica, bem como de alguns escritores norte-americanos, nomeadamente Ernest Hemingway. As suas obras valeram-lhe vários importantes prémios literários nacionais e internacionais, nomeadamente o Prémio da União Latina, o Prémio Dom Dinis, o Grande Prémio APE, o Prémio Pessoa, entre outros. Várias das suas obras foram traduzidas para outras línguas e adaptadas ao cinema e ao teatro.
José Cardoso Pires morreu em Lisboa em outubro de 1998, com 73 anos de idade.