O Cônsul Honorário

letras_leya
17
Letras

O Cônsul Honorário

Livro recomendado PNL2027 dos maiores de 18 - leitura fluente

O Cônsul Honorário é um dos livros mais famosos de Graham Greene e aquele que o próprio autor considerava como o seu melhor romance e simultaneamente o que lhe mais custou a escrever. A obra tem como cenário uma cidade da Argentina, mas o pano de fundo é ocupado pela ditadura do general Alfredo Stroessner, que governou o Paraguai durante 35 anos. Um grupo de guerrilheiros paraguaios decide raptar um embaixador americano para exigir como resgate a libertação de presos políticos. Mas quem acaba por ser raptado por engano é Charley Fortnum, um cônsul honorário britânico e bêbado diplomado, sem o mínimo valor de troca em termos políticos. O Governo britânico não está interessado em salvar o seu cônsul, criando uma situação extremamente grave para Fortnum... Tal como todos os livros de Greene, O Cônsul Honorário é um romance de acção, de espionagem e, acima de tudo, um drama moral. O seu enredo engenhoso e o seu humor subtil inspiraram, em 1983, um filme com Michael Caine no magnífico papel de cônsul.
Ler mais
Metas Curriculares
Metas Curriculares
Ano de Edição / Impressão / 2009

Dimensões / 230 x 17 x 155 mm
ISBN / 9789724618753
Editora / DOM QUIXOTE
Autor
Graham Greene nasceu em Berkhamsted, em 1904.
Estudou História Contemporânea em Oxford e, a partir de 1926, começa a escrever para The Times e outros jornais. Durante a II Guerra Mundial trabalhou para o serviço de informações do Ministério dos Negócios Estrangeiros.
Foi um dos mais prolíficos e importantes romancistas de língua inglesa do século XX que elevou as histórias de espionagem a um novo patamar literário. O Cônsul Honorário, O Americano Tranquilo, Assassino a Soldo, O Nosso Agente em Havana, O Terceiro Homem são só algumas das suas obras mais significativas. Eterno candidato ao Nobel, a sua obra, uma das mais ricas deste século, onde abundam novelas de grande fôlego, é o retrato de uma vida plena de vivências a que não é alheia a sua alma de incansável viajante e de arguto observador da realidade. Romancista e contista brilhante, foi ainda dramaturgo e escreveu guiões e centenas de críticas de cinema e teatro.