O Homem Lento

Promo
30%
Brinde

O Homem Lento

Neste romance, Coetzee oferece-nos uma profunda meditação sobre o que faz de nós humanos e o que significa envelhecer, reflectindo no modo como vivemos as nossas vidas. Como todas as grandes obras literárias, ""O Homem Lento"" levanta questões mas raramente oferece respostas. Em consequência de um acidente, Paul Rayment altera a perspectiva que tem da vida e começa a dedicar-se ao género de preocupações universais que nos definem a todos: O que significa fazer o bem? O que é que nas nossas vidas é, em última análise, significativo? É mais importante que alguém nos ame ou que alguém se interesse por nós? Como definimos o local a que chamamos «casa»? Na sua voz lúcida e firme, Coetzee debate-se com estas problemáticas. O resultado é uma história profundamente comovedora, sobre o amor e a mortalidade, que deslumbra o leitor em cada página. Prémio Nobel de Literatura 2003.


J. M. Coetzee nasceu em 1940 na Cidade do Cabo, estudou na África do Sul e nos Estados Unidos e reside na Austrália. Recebeu o Prémio Nobel de Literatura em 2003. Entre as suas obras contam-se No Coração desta Terra (Prémio Booker e o Prémio Femina Étranger), À Espera dos Bárbaros, Vida e Tempo de Michael K, O Mestre de Petersburgo, Desgraça, O Homem Lento, Diário de um Mau Ano (um romance em que o autor dividiu a página em três planos narrativos distintos numa ousada experiência entre a ficção e o ensaio) e Verão, finalista do Prémio Booker de 2009, e muito acalmado pela crítica e pelos leitores.

Ler mais
€ 12,53
PVP   € 17,90
Poupe € 5,37 (30%) Comprar

Ano de Edição / Impressão / 2008
Número Páginas / 296

Dimensões / 236 x 19 x 155 mm
ISBN / 9789722031851
Editora / DOM QUIXOTE
Autor
J. M. Coetzee nasceu em 1940, na Cidade do Cabo, estudou na África do Sul e nos Estados Unidos, e atualmente reside na Austrália.
Entre as suas obras destacam-se No Coração desta Terra, À Espera dos Bárbaros, A Vida e o Tempo de Michael K, Desgraça, O Homem Lento, Diário de Um Mau Ano – um romance em que o autor dividiu a página em três planos narrativos distintos, numa ousada experiência entre a ficção e o ensaio –, e Verão, finalista do Booker Prize de 2009.
Tendo sido o primeiro escritor a vencer por duas vezes o Booker Prize, Coetzee viu ainda a sua mestria literária ser reconhecida com a atribuição do Prémio Nobel de Literatura, em 2003.