O Sésamo - eBook

Coleção: Short Stories
Promo
25%

O Sésamo - eBook

Coleção: Short Stories

Indo buscar o seu título à expressão "Abre-te, Sésamo", este é um conto sobre histórias de encantar e a perda da inocência. Em Urros, aldeia perdida nas montanhas, o momento mais aguardado são os habituais serões passados em volta de uma fogueira. É nestes momentos que Raul, exímio contador de histórias, fascina todos os seus habitantes, sobretudo uma criança que irá descobrir a expensas próprias a distância que vai da ficção à realidade.


Miguel Torga, pseudónimo literário de Adolfo Correia Rocha, nasceu em São Martinho de Anta, Trás-os-Montes, a 12 de Agosto de 1907, e faleceu em Coimbra, a 17 de Janeiro de 1995. Formado em Medicina pela Universidade de Coimbra, colaborou na revista Presença, e dirigiu as revistas Sinal e Manifesto. Em 1976 foi distinguido com o Grande Prémio Internacional de Poesia das Bienais Internacionais de Knokke-Heist, em 1980 com o Prémio Morgado de Mateus, em 1981 com o Prémio Montaigne (Alemanha), em 1989 com o Prémio Camões e em 1992 com os prémios Vida Literária da Associação Portuguesa de Escritores e Figura do Ano da Associação dos Correspondentes da Imprensa Estrangeira, bem como o Prémio Écureuil de Literatura Estrangeira (Bordéus). A sua obra encontra-se traduzida em diversas línguas.

Ler mais

Os ebooks e audiobooks mais populares disponíveis na subscrição Kobo+e_Leya.

eBook
€ 0,74
PVP   € 0,99
Poupe € 0,25 (25%) Comprar

Ano de Edição / Impressão / 2007
Formato / EPUB
ISBN / 9789722051842
Editora / DOM QUIXOTE
Promoções Ativas: eBooks 25% desconto
Autor
Miguel Torga, pseudónimo literário de Adolfo Correia Rocha, nasceu em São Martinho de Anta, Trás-os-Montes, a 12 de Agosto de 1907, e faleceu em Coimbra, a 17 de Janeiro de 1995.
Formado em Medicina pela Universidade de Coimbra, colaborou na revista Presença, e dirigiu as revistas Sinal e Manifesto.
Em 1976 foi distinguido com o Grande Prémio Internacional de Poesia das Bienais Internacionais de Knokke-Heist, em 1980 com o Prémio Morgado de Mateus, em 1981 com o Prémio Montaigne (Alemanha), em 1989 com o Prémio Camões e em 1992 com os prémios Vida Literária da Associação Portuguesa de Escritores e Figura do Ano da Associação dos Correspondentes da Imprensa Estrangeira, bem como o Prémio Écureuil de Literatura Estrangeira (Bordéus).
A sua obra encontra-se traduzida em diversas línguas.