Mulheres que Não Perdoam

Mulheres que Não Perdoam

Prisioneiras dos seus casamentos, cansadas de sofrer e com vontade de se vingar, três mulheres que não se conhecem trocam confidências num foro de Internet. Ingrid, esposa de um famoso editor de jornal que sacrificou a sua carreira de jornalista em benefício do marido, descobre que este a está a trair sem escrúpulos. Birgitta, a doce professora apreciada por toda a comunidade, sabe que está doente há vários meses, mas continua a adiar a consulta ao médico. As contusões que cobrem o seu corpo podem trair a violência que ela sofre em silêncio. Victoria deixou a sua Rússia natal para se estabelecer na Suécia com um homem que conheceu num site de encontros. Mas ele não é de forma alguma o marido que ela imaginou e a sua nova vida é um pesadelo. É prisioneira de um bêbado obeso que a trata «como uma boneca inflável capaz de cozinhar e manter a casa limpa». Um dia, levadas ao limite, planeiam, mesmo sem se conhecerem, o crime perfeito.
Ler mais

Os ebooks e audiobooks mais populares disponíveis na subscrição Kobo+e_Leya.

€ 16,60

EXCLUSIVO LEYA EXPRESS

Valide aqui o seu código postal

-
OK
Ano de Edição / Impressão / 2021
Número Páginas / 224

Dimensões / 228 x 15 x 148 mm
ISBN / 9789897842849
Editora / SUMA DE LETRAS
Autor
Nascida em 1974, Camilla Läckberg licenciou-se na Universidade de Economia de Gotemburgo antes de se mudar para Estocolmo, onde foi economista durante alguns anos. Um curso de escrita criativa de policiais levou-a a uma mudança drástica de carreira.
Foi considerada a escritora sueca do ano em 2004 e 2005, e os seus quatro primeiros livros atingiram o primeiro lugar no top de vendas da Suécia. Foi a sexta autora mais lida na Europa em 2009, e a partir daí manteve-se nos lugares cimeiros nos tops internacionais. Os seus livros estão publicados em 55 países – incluindo os EUA – onde já vendeu mais de 15 milhões de exemplares.


«A escritora sueca de maior sucesso da atualidade.»
The Independent

«Lackberg é perita em combinar cenas familiares harmoniosas com um terror capaz de fazer gelar o sangue.»
The Guardian

«Frio, enganador e lúcido, tal como o ambiente gelado que descreve.»
Literary Review