Adoração

Adoração

Uma rapariga, um comissário de polícia, a Máfia e Caravaggio.

Descrito pelo duque de Nottetempo, seu contemporâneo, como «um brigão, um arruaceiro», o pintor Caravaggio passou uma curta temporada na Sicília em 1609, aguardando o indulto papal para um crime de sangue que cometera em Roma. Nesse período, pintou uma tela que ficaria conhecida por A Adoração e que esteve no Oratório de S. Lourenço, em Palermo, até ser roubada em 1969, ano em que nasceria Antonia Rei.
É essa mesma Antonia que, em 1992, testemunha um homicídio perpetrado pela máfia numa praça da cidade, onde é interrogada pelo comissário Salvatore Amato, que acaba por contactar alguns dias mais tarde. Mas não é curiosamente sobre o assassínio que lhe quer falar, antes sobre o roubo do famoso quadro.
Oscilando entre épocas afastadas no tempo, entre a história fascinante da pintura d’A Adoração e a da investigação de Salvatore Amato num dos mais violentos períodos da acção da máfia, este romance recorre aos jogos de espelhos que Caravaggio usava nas suas pinturas para atrair ao mesmo vórtice de luz e trevas as vidas de um leque de personagens cativantes, mortas ou vivas, mas todas misteriosamente condenadas ao desencontro.
Ler mais
€ 13,20
PVP   € 16,50
Poupe € 3,30 (20%) Comprar

eBook
€ 6,40
PVP   € 8,00
Poupe € 1,60 (20%) Comprar
Ano de Edição / Impressão / 2016
Número Páginas / 216

Dimensões / 235 x 15 x 157 mm
ISBN / 9789724751108
Editora / TEOREMA
Autor
Cristina Drios nasceu em Lisboa, em 1969. De 1973 a 1987, frequentou o Liceu Francês Charles Lepierre de Lisboa. Licenciada em Direito, exerce desde 1992 a advocacia na área da Propriedade Intelectual.
Jamais vai a lado algum sem um livro; além de literatura, interessa-se por história e filosofia. É fotógrafa amadora e viajou por cerca de quarenta países, tão diversos como a Índia, a Birmânia, o Japão, o Camboja, o Senegal, Marrocos, o Chile, a Guatemala, El Salvador e a Nicarágua.
O seu livro de contos Histórias Indianas venceu, em 2012, o Prémio Literário Cadernos do Campo Alegre «Novo Autor, Primeiro Livro» da Fundação Ciência e Desenvolvimento/Câmara Municipal do Porto. No mesmo ano, Os Olhos de Tirésias, a sua estreia no romance, foi finalista do Prémio Leya. Adoração é o seu segundo romance.