Sinopse
Não era um cão como os outros. Era um cão rebelde, caprichoso, desobediente, mas um de nós, o nosso cão, ou mais que o nosso cão, um cão que não queria ser cão e era cão como nós.
«O título Cão como Nós não podia ser mais sugestivo: não só porque humaniza e nivela, mas também porque sublinha com esse «nós» - que evoca um poema de Cesário Verde onde o pronome designa com igual força conotativa a esfera familiar - um certo espírito de linhagem e aliança. Nesse sentido, a novela Cão como Nós é um inesperado retrato de família, desarmante na sua evidência autobiográfica, escrito ao rés do vivido e com um grau mínimo de ocultação ficcional.» (Clara Rocha, no prefácio a esta edição)
Ler mais Ler menos

Detalhes

  • ISBN: 9789722075985
  • Editora: DOM QUIXOTE
  • Ano de Edição / Impressão: 2022
  • Dimensões: 217 x 142 x 13 mm
  • Páginas: 128

PROMOÇÕES ATIVAS

Novidades
O autor
Manuel Alegre de Melo Duarte nasceu a 12 de Maio de 1936, em Águeda. Estudou em Lisboa, no Porto e em Coimbra. Em 1961 é mobilizado para Angola. Preso pela PIDE, passa seis meses na Fortaleza de S. Paulo, em Luanda, onde escreve grande parte dos poemas do seu primeiro livro, Praça da Canção. Dirigente histórico do Partido Socialista, foi vice-presidente da Assembleia da República de 1995 a 2009 e membro do Conselho de Estado.
Foram-lhe atribuídos os mais distintos prémios literários: Grande Prémio de Poesia da APE-CTT, Prémio da Crítica Literária da AICL, Prémio Fernando Namora, Prémio Pessoa, em 1999.
O seu livro de poemas Doze Naus recebeu o Prémio Dom Dinis. Em 2016 recebeu o Prémio Vida Literária da APE e o Prémio de Consagração de Carreira da SPA. No mesmo ano, foi atribuído o Grande Prémio de Literatura dst ao seu livro de poemas Bairro Ocidental.
Em 2017, foi distinguido com o Prémio Camões e, em 2019, com o Prémio Vida e Obra da SPA.
Ler mais Ler menos