Deixei o Meu Coração em África

Deixei o Meu Coração em África

O amor em tempos de guerra, a sedução de África e o retrato de um Portugal inesquecível.

Isabel recebe um manuscrito em condições inesperadas e misteriosas. O seu autor, Rodrigo, desaparecido há seis anos e dado como morto pelos seus amigos, relata as experiências e as vivências, os factos e as emoções, os encontros e os desencontros que marcaram a sua vida.
O leitor é levado numa viagem que o transporta aos loucos anos sessenta do século passado na alta sociedade lisboeta; e, à sedução de África. Se encontramos a guerra de guerrilha, difícil e intensa, deparamo-nos também com o glamour de uma vida aventureira, célebre pelos safaris e pela ousadia do quotidiano das fazendas. As relações pessoais espelham-se num pano de fundo caracterizado por uma época politicamente moralista, marcada por valores tradicionais e pela Guerra Colonial.
Uma história que reflecte tanto os avatares da guerra como as encruzilhadas do amor de uma sociedade representativa de um Portugal esquecido por alguns e inesquecível para muitos. Uma história escrita com o coração de quem viveu em África e o deixou lá para sempre. Para muitos o romance que melhor retrata a sociedade da África Portuguesa e a Guerra Colonial.
Ler mais
€ 15,90
Na compra do livro leve também o eBook por apenas € 2,49
Comprar

eBook
€ 7,99
Comprar
Ano de Edição / Impressão / 2005

Dimensões / 226 x 29 x 145 mm
ISBN / 9789897414442
Editora / OFICINA DO LIVRO
Promoções Ativas: Oferta de portes CTT48
Autor
Manuel Arouca nasceu em 1955, em Moçambique. Aos sete anos, mudou-se para Portugal.
É licenciado em Direito pela Faculdade de Direito de Lisboa, mas optou pela escrita de livros, guiões para televisão e produção de documentários. É escritor, guionista e produtor. Em 1984, editou o seu primeiro romance Filhos da Costa do Sol, considerado um dos mais importantes best-sellers da literatura portuguesa.
Assinou e produziu, em 1992, um documentário sobre a vida de Eusébio que se revelou um sucesso, tendo sido exibido várias vezes na RTP, com excelentes audiências, e em várias estações televisivas do mundo.  
No ano de 2000, escreveu a novela Jardins Proibidos, que revolucionou a ficção televisiva nacional, e catorze anos depois regressou com a sequela deste enorme sucesso. Em 2005, publicou o romance Deixei o meu coração em África.
Escreveu mais de quinze livros, dez telenovelas, cinco séries televisivas e quatro documentários. O último dos seus trabalhos, sobre a devoção a Nossa Senhora de Fátima no Mundo, foi elogiado pelo Papa Francisco.