Doce Carícia

Doce Carícia

Amory Clay, uma mulher inesquecível que definiu os seus próprios limites e o seu retrato singular do século XX.

Quando Amory Clay nasceu, na década que antecedeu a Primeira Guerra Mundial, o seu pai, desapontado, deu-lhe um nome  andrógino e anunciou o nascimento de um filho. Mas esta filha que nasceu não se deixa definir pelos outros; Amory tornou-se uma mulher que não aceita que lhe imponham limites para o que isso pode significar e, mal se viu com a sua primeira máquina fotográfica nas mãos, passou a ser também alguém que regista sempre a sua própria versão dos acontecimentos.
Circulando livremente entre Londres e Nova Iorque, entre o fotojornalismo e a fotografia de moda e, também, entre os homens que a amam sempre de um modo complexo, Amory impõe-se como alguém capaz de arriscar tudo, como uma apaixonada passageira da vida.
A sua fome de experiências leva-a a conhecer a decadência da Berlim da República de Weimar e a violência dos motins dos camisas negras de Londres; fá-la viajar até à Renânia com as tropas aliadas; e, mais tarde, até ao epicentro do turbilhão político de um Vietname dividido pela guerra. No curso da sua ambiciosa carreira, os momentos fundamentais do século XX tornar-se-ão igualmente os momentos inesquecíveis da sua própria biografia.
Ler mais
eBook
€ 14,99
Comprar
Ano de Edição / Impressão / 2016
Número Páginas / 464

Dimensões / 235 x 32 x 157 mm
ISBN / 9789722060097
Editora / DOM QUIXOTE
Promoções Ativas: Oferta de portes CTT48
Autor
William Boyd foi enquanto professor de Inglês, em Oxford, que publicou o seu primeiro romance, No Coração de África, vencedor dos prémios Whitbread e Somerset Maugham.
É autor de um livros de não-ficção, antologias de contos e romances, entre eles o thriller de espionagem histórica Inquietude, vencedor do prémio Costa Novel of the Year, e Viagem ao Fundo de Um Coração, em que dá a conhecer o personagem Ian Fleming.
Foi também vencedor de outros prémios - Whitbread First Novel Prize, John Llewellyn Rhys Prize, James Tait Black Memorial Prize e Prix Jean Monnet.
13 dos seus guiões cinematográficos foram filmados e, em 1998, escreveu e realizou o filme A Trincheira.