Sinopse
Ramon Llull nasceu em Maiorca e viveu no Mundo.
Passeou a sua indomável autonomia pelo Mediterrâneo, África do Norte, Ásia Menor, espalhando sonhos e ideais de outras épocas, passadas e futuras.
O mesmo homem que ficou para os tempos como o Doutor Iluminado, o Fantástico, o Louco de Amor Divino, autor de um método complexo e desconcertante de alcançar a verdade, foi também o primeiro a escrever na sua língua, o catalão, para poder ser compreendido pelo homem vulgar.
O mesmo que pregou a vocação universalista do Cristianismo, a cruzada para a Reconquista das Terras Santas, querendo acolher todos os povos na mesma fé, reconhecia-se açor solitário, eremita, cavaleiro espiritual.
O mesmo homem que fez missão da sua vida converter os Infiéis e sofrer por eles o martírio ficou na história como o grande divulgador da cultura muçulmana e introdutor dos Estudos Árabes no Ocidente. E esta é apenas uma das ironias do seu destino paradoxal.

Originalmente publicado em 1991, Vida de Ramon tem, 25 anos depois, uma edição revista pela autora.

Ler mais Ler menos

Detalhes

  • ISBN: 9789722059923
  • Editora: DOM QUIXOTE
  • Ano de Edição / Impressão: 2016
  • Dimensões: 236 x 157 x 21 mm
  • Páginas: 296
O autor
Luísa Costa Gomes nasceu em Lisboa, em 1954. Licenciou-se em Filosofia, foi professora do Ensino Secundário e dirigiu a FICÇÕES (revista de contos). É autora de romances, contos, crónicas e peças de teatro.
O seu primeiro romance, O Pequeno Mundo, ganhou o Prémio D. Diniz da Casa de Mateus e Olhos Verdes, o Prémio Máxima de Literatura. A obra Contos Outra Vez ganhou o Grande Prémio de Conto da Associação Portuguesa de Escritores. Publicou ainda, na Dom Quixote, os livros infantis A Galinha Que Cantava Ópera (2005), com ilustrações de Pierre Pratt, e Trava-Línguas (2006), com ilustrações de Jorge Nesbitt, A Pirata (2006), romance sobre a aventurosa vida da pirata Mary Read, e o livro Setembro e Outros Contos (2007).
O seu romance Ilusão (ou o que quiserem) (2009) recebeu, em 2010, o Prémio Literário Fernando Namora/Estoril Sol, «pela inovação e ágil registo estilístico», como referiu em acta o júri, e o Prémio de Ficção do PEN Clube, ex-aequo com Dulce Maria Cardoso. Cláudio e Constantino (2014) venceu o Grande Prémio de Literatura dst e Florinhas de Soror Nada, a Vida de Uma Não-Santa (2018), o Prémio de Novela e Romance Urbano Tavares Rodrigues.
Ler mais Ler menos